Escritos Sagrados Bahá'ís em Ebook

Fundada em 1957, a Editora Bahá'í do Brasil tem como seu principal objetivo tornar acessível ao público de língua portuguesa as Escrituras Sagradas da Fé Bahá'í. Publicamos mais de cinco centenas de livros, documentos, textos e materiais audiovisuais que expressam o ensinamento básico da Fé Bahá'í: a unidade do gênero humano. Também, fornecemos materiais de identificação bahá'í. Atualmente são 33 editoras bahá'ís no mundo publicando materiais em mais de 800 línguas e dialetos.

Por que ler histórias para crianças?



Primeiro, porque elas adoram. Descobrem um jeito novo de se relacionarem com os adultos e sentem-se acolhidas. Depois, porque elas se identificam com os personagens e situações, trazendo aprendizados para sua própria história, além de aumentar seu repertório cultural. Crianças precisam ter como modelos adultos queridos que leem, assim darão valor à leitura e também se tornarão leitoras.
Coordenação de Literatura Bahá'í 
Editora Bahá'í do Brasil


Como garantir uma boa experiência de leitura?

História não é só na hora de dormir.
Leia sempre que possível. Pela manhã, à tarde ou à noite. Em casa, na praça, no passeio ao parque.


Leia de forma simples.
Não se preocupe muito com a entonação da voz ou com grandes interpretações. A leitura deve ser agradável para quem ouve e para quem lê. Leia e confie na imaginação da criança


Valorize o texto e as ilustrações.
Mostre o livro e suas figuras. É uma forma de facilitar a compreensão, estimular o senso estético e fixar o conteúdo da história.


Leia quantas vezes a criança pedir 
Cada vez que você lê a mesma história, a criança descobre novos detalhes e outros significados. Ou talvez ela só queira ter certeza de que o final continua o mesmo. Não importa, leia e releia se for um pedido da criança.



Deixe a criança tocar no livro,
Como se estivesse descobrindo nodos brinquedos. 



Um comentário:

  1. Muito bom, realmente ler em qualquer lugar e a qualquer hora, é ótimo. Parabéns pelo trabalho maravilhoso que vocês fazem.
    Um forte abraço
    Marta Moniz

    ResponderExcluir